domingo

Reportagem na Revista "Mais" do Diário de Notícias da Madeira, 23-10-2011



Na casinha de prazeres adaptada a atelier, Regina Estevinho dá uma nova vida aos livros. Muitos deles chegam com rasgões e com grandes estragos na encadernação, mas saem prontos para voltarem a ser folheados
Porque "os livros têm os mesmos inimigos que o homem: o fogo, a humidade, os bichos, o tempo e o próprio conteúdo", já dizia o poeta francês Paul Valéry, no início do século XX, precisam também de quem trate deles.
Tal como os prestadores de cuidados de saúde aos humanos, é de bata branca que Regina Estevinho trabalha na antiga casinha de prazeres, pertencente à moradia dos pais, há dois anos transformada em atelier.

sexta-feira